Uma Oração Pessoal

oracao de JabezNo ano de 2.000 li o poderoso livro do Dr. Bruce Wilkinson, "A Oração de Jabez", e que impactou a forma como passei a orar desde então. Baseia-se sobre Jabez, um homem não mencionado em nenhum outro lugar na Bíblia senão em 1Crônicas 4.9-10, e que orou: "...Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a Tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição!" 

Em 60 palavras, a passagem descreve o nascimento de Jabez, sua oração e Deus lhe assegurando o que ele pediu. Depois de ler o livro, geralmente termino minhas orações matinais com uma versão customizada, com as seguintes partes: 

"Senhor, abençoa-me além das minhas expectativas". Sei que minhas expectativas são menores do que aquilo que Deus planejou para mim. Certamente nenhum de nós sabe o que tem pela frente durante o dia. Deus tem me abençoado ao longo dos anos, mas muitas bênçãos não pareciam agradáveis no momento, porque assumiam a forma de provas e aflições. Entretanto, com o tempo, pude ver como Deus estava orquestrando os acontecimentos para me fortalecer e para o que Ele tinha planejado para mim. Aprendi a confiar Nele em todas as coisas e Ele jamais falhou para comigo. 

"Senhor, alarga minhas fronteiras, minha área de influência". Quando comecei a orar não fazia a menor ideia do que Deus tinha planejado. Achava que esta parte da oração não tinha nada a ver com a minha carreira na área de seguros. Com o passar do tempo concluí que tinha a ver com ser influente na vida de outras pessoas, mas limitado à minha comunidade. Hoje vejo como Ele fez com que alguns dos meus escritos percorressem o mundo através da Internet sem que tivesse feito alguma coisa.

"Pai, que seja constantemente comigo a Tua mão". Para mim, esta é a parte mais direta da oração. Deus jamais me abandonará, mas eu quero que Ele saiba que eu não tenho a menor vontade de deixá-lo. Preciso Dele para ajudar-me a passar pelos profundos desapontamentos que enfrento com as incertezas da vida. Ele é minha Força, minha Fortaleza, minha Rocha e minha Salvação. 

"Me preserva do mal, de modo que não me sobrevenha aflição". Imagino que Jabez orou para que Deus o guardasse do mal e para que ele não sofresse nem causasse aflição na vida de outras pessoas e na sua própria vida. O mal está à nossa volta. Grande parte do mal no mundo tem sido disfarçada para não ter a aparência ou o paladar de coisa má. Oswald Chambers nos lembra que Deus quer e merece nosso melhor, nada menos.

Resumindo, Ele tem respondido minha oração e estou certo que responderá a sua também. Ofereça uma oração simples e humilde. Você receberá do Deus Todo-Poderoso maravilhosas bênçãos, além do que poderia imaginar. 

 

Jim Langley (CBMC)
Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes

 

Impossível

impossivel"Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram" (Hebreus 2:3).

Podemos negar as evidências e, algumas vezes, a negação desta evidência pode ser algo tão simples como não aceitar a existência disto ou daquilo. Mas existem coisas bem mais sérias que, se não aceitarmos, poderá colocar em risco nossas próprias vidas, por exemplo; alguém que salte de um prédio do 15º andar e não acredite na lei da gravidade, vai experimentar o que é a lei da gravidade. E não há nada que você poderá fazer para salvar esta pessoa.

A Bíblia em Hebreus 2 nos fala a respeito de algo muito sério que quando não cremos podemos sofrer uma terrível consequência. Esta passagem nos fala de algo que é impossível. Impossível que alguém que negligencie a mensagem da salvação em Jesus Cristo, escape do juízo de Deus.

O texto nos diz que se aqueles que negligenciaram a antiga aliança sofreram as consequências desta escolha, àqueles que negligenciarem a mensagem do evangelho lhes será impossível escaparem do juízo anunciado por Deus.

É exatamente por isso que nós precisamos ter em mente no que cremos. Não é por falta de evidências que as pessoas não creem no evangelho, mas é porque não querem crer no evangelho.

 

Pr. Leandro Tarrataca

 

Por Que Antigamente as Pessoas Não Sorriam?

camera fotografica antigaPor ser perito em fotografias antigas, sempre me perguntei por que nelas as pessoas não apareciam sorrindo. Existem três teorias. A primeira alega que era porque a velocidade de disparo do obturador das câmeras fotográficas antigas era maior, por causa da baixa velocidade dos filmes, exigindo que as pessoas ficassem imóveis por vários segundos. A segunda afirma que as pessoas não queriam mostrar a dentição precária, já que a higiene dental não era das melhores naqueles dias.

A primeira teoria contém alguma verdade, já a segunda, não. Existe uma terceira, provavelmente a verdadeira: sorrir em fotografia era considerado de mau gosto. Veja uma citação de mais de 300 anos sobre isso: "Algumas pessoas levantam tanto o lábio superior... que seus dentes ficam quase que inteiramente visíveis, o que é inteiramente contra o decôro, que proíbe os dentes de ficarem descobertos, já que a natureza nos deu lábios para encobri-los", Jean-Baptiste De La Salle, The Rules of Christian Decorum and Cility, 1703 [Regras de Decoro e Civilidade Cristãos].

Que declaração! Parece tão contrária ao nosso modo de ver o sorriso em fotografia neste Século XXI! Felizmente os tempos mudam como também os estilos de fotografia. Atualmente é raro, particularmente nas culturas ocidentais, ver uma foto em que as pessoas não estejam sorrindo, especialmente se querem exibir sua melhor aparência.

Fiquei pensando no que faz as pessoas rirem, tendo ou não uma câmera presente. Certamente que bom humor predispõe ao riso; tente gargalhar sem rir. Seu rosto iria explodir. Rimos quando vemos pessoas com quem nos importamos; quando bebês e animais fazem coisas engraçadas; diante de uma obra de arte atraente, ou ouvindo um desempenho musical extraordinário; quando nosso time  transforma a derrota em vitória, ou recebemos um presente de surpresa. Também rimos quando somos promovidos no trabalho, quando celebramos um contrato importante ou nos damos conta de ter feito algo positivo para melhorar a vida de alguém.

Sabia que a palavra "sorriso" não aparece especificamente nas Escrituras? Numa Concordância Bíblica não aparece nenhuma vez. Isto não quer dizer que Deus é contra o sorriso. Se sorriso não é mencionado, palavras como "rir", "riso" e "risada" são usadas 40 vezes. Bem, se aconteciam "risos", então, conteciam sorrisos também! 

Riso nem sempre é apresentado de maneira alegre. Falando de pessoas que se rebelaram contra Deus, o Salmo 2.4 afirma: "Do Seu trono nos céus o Senhor põe-se a rir e caçoa deles."  De outra feita o riso resultou numa das maiores risadas da história. Sara, a idosa esposa de Abraão, havia perdido a esperança de ter filho. Deus prometeu que ela seria mãe e quando seu filho Isaque nasceu, ela disse: "Deus me encheu de riso, e todos os que souberem disso rirão comigo" (Gênesis 21.6). Isaque significa "riso", ou "aquele que ri". 

Mas na maioria das vezes a Bíblia fala em "alegria", o que podemos considerar como "riso por dentro", mesmo quando o que acontece à nossa volta seja desagradável. Tiago diz: "Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma" (1.2-4).

"Rimos por dentro" na adversidade, confiantes que ela vai operar a nosso favor e nos ajudar a crescer espiritualmente!

 

Outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema: Salmo 1.1-3; 30.5; 100.1-5; Romanos 5.2-5; 12.15; Filipenses 4.4; Hebreus 12.2 

 

Jim Mathis (CBMC)
Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes 

 

Para que orarmos?

orando[...] Para que orarmos? Se Deus faz o que Ele quer fazer, para que serve a nossa oração?

Oramos porque isto demonstra nosso relacionamento com Deus

Os cristãos geralmente se descrevem como quem tem "um relacionamento pessoal com Deus". Tal relacionamento gira em torno da comunicação. Deus fala conosco através de Sua Palavra, e nós falamos com Ele através de nossos lábios e nossa mente. Se não ouvirmos (lermos a Palavra) ou falarmos (orarmos), o relacionamento se rompe.

Oramos porque Deus nos ordena:

"Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus" (Filipenses 4.6-74.6-7).

"Orai sem cessar" (1 Tessalonicenses 5.17).

De acordo com a tradição judaica, o profeta Daniel orava três vezes ao dia, independentemente das circunstâncias (Daniel 6.12-13). Deus quer que Seu povo ore.

Oramos porque isto demonstra nossa posição sob as ordens dEle e a nossa dependência dEle

"Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra. Ele não permitirá que os teus pés vacilem; não dormitará aquele que te guarda" (Salmo 121.1-3).

Oramos porque esta é uma forma de servir a Deus

A profetiza Ana "adorava noite e dia em jejuns e orações" (Lucas 2.37). Quando oramos, admitimos que a vida não se resume somente a mim. O apóstolo Paulo escreveu: "Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito" (1 Timóteo 2.1-2).

Oramos porque a oração fortalece a nossa fé

Ver em primeira mão a provisão de Deus através da oração respondida fortalece nosso homem interior. Disse Jesus: "Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará" (Mateus 6.6). Oramos "àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos" (Efésios 3.20).

Oramos porque vale a pena

"Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo" (Tiago 5.16).

Oramos porque Ele sempre responde, de uma forma ou de outra

"E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito" (1 João 5.14-15).

[...]

Steve Herzig

 

Uma experiência de viagem

peixe da galileia

[“Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a praia. Ela estava cheia: tinha cento e cinquenta e três grandes peixes. Embora houvesse tantos peixes, a rede não se rompeu.” (João 21.11)]

Estávamos viajando por Israel com um grupo de cristãos. No lago de Genesaré o guia turístico falou dos muitos eventos que aconteceram às margens desse lago, lembrou dos milagres que Jesus fez, das mensagem que Ele proclamou, das Suas idas e vindas para essa região tão carregada de história. Mais tarde ele contou sobre a pesca milagrosa depois da ressurreição de Jesus, mencionando que foram apanhados exatos 153 peixes (João 21.11). O guia perguntou qual seria o significado da menção exata desse número. As respostas dos viajantes foram as mais variadas. Depois de um tempo, ele revelou que o valor numérico hebraico de 153 é “ANI ELOHIM”, que significa “EU SOU DEUS”.

M(40) I(10) H(5) O(6) L(30) E(1) I(10) N(50) A(1)

Lendo da direita para a esquerda = 153.

Depois de Jesus, ressuscitado, encontrá-lo pessoalmente, Tomé declarou: “Senhor meu e Deus meu!” (João 20.28). Devemos lembrar que Tomé fez essa confissão tendo como pano de fundo toda a sua concepção judaica de fé e de vida. Um judeu como ele jamais teria ousado chamar alguém de Deus – a não ser que esse alguém fosse Deus. Depois da grande pescaria, quando Jesus estava na praia e os discípulos não O reconheceram imediatamente, João disse a Pedro: “É o Senhor!” (João 21.7). A sequência merece consideração:

• primeiro Tomé confessa: “Senhor meu e Deus meu!”.

• mais tarde, João admitiu: “É o Senhor!”

• e agora parece que o Senhor, por meio do milagre dos 153 peixes, sublinha essa verdade: “Eu sou o Senhor no sentido divino!”.

 

Norbert Lieth