Jesus enxerga as outras ovelhas

pastor ovelhasO segredo é este: por meio do evangelho os não-judeus participam com os judeus das bênçãos divinas. Eles são membros do mesmo corpo e participam da promessa que Deus fez por meio de Cristo Jesus. (Efésios 3.6, NTLH)

Jesus tem ovelhas no curral e fora do curral. Ele é pastor destas e daquelas. Ele trabalha para reunir as de dentro e as de fora num só rebanho (Jo 10.16). O aprisco não pode abrigar apenas as ovelhas de Israel. Jesus é pastor de outras ovelhas que virão de outras nações, de outras tradições, outros contextos, de acordo com a soberania e o tempo de Deus. Isso está previsto desde a chamada de Abraão: “Por meio de você todos os povos da terra serão abençoados” (Gn 12.3, NVI). O tempo de arrebanhar as ovelhas de fora do curral começou com o derramamento do Espírito sobre judeus, prosélitos e gentios (At 2.1-13) e com a Grande Comissão (At 1.8).

O rebanho de Cristo não está mais confinado aos crentes entre os judeus. Inclui hoje os crentes de todas as nações, de todas as culturas, de todas as línguas, de Jerusalém aos confins da terra. A igreja torna-se internacional. A tenda anterior é pequena demais e precisa ser ampliada. O curral anterior não consegue abrigar todas as ovelhas e precisa ser ampliado.

Esse é o segredo, o mistério, o desígnio secreto de Deus agora revelado (Ef 1.9-10).

 

Pr. Elben César

Ressurreição e Vida

lazaroDisse-lhe Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?" (João 11.25)

No Calvário Jesus experimentou a morte por cada homem, mulher e criança. Na sua ressurreição Jesus agora aguarda todo ser humano do outro lado da morte. Ele convida todo ser humano a sair da morte com Ele.

Na história de Lázaro em João 11 Jesus revela a sua atitude perante a nossa morte. Quando a notícia da doença de Lázaro chegou até Jesus, Jesus não correu para curar a doença. Jesus não entrou em pânico para salvar o seu amigo. Em vez disso Jesus foi ver o seu amigo quando a morte fez tudo que podia contra o Lázaro. Vendo o que a morte fez, Jesus chorou e chamou o Lázaro para viver.

A morte de Jesus no Calvário revela a mesma verdade. Toda a humanidade precisa morrer e depois ser ressuscitada. Jesus não entrou em pânico no Calvário quando a morte veio. Ele se entregou a morte que seria a morte de todos nós. Calvário não é somente a morte de Cristo. É a morte de todo ser humano.

Por causa da morte de Jesus no Calvário qualquer ser humano pode ouvir Jesus chamando "Venha para fora da morte!". Agora qualquer homem, mulher ou criança pode vencer a morte em união com Jesus.

Pregar o evangelho é falar para todos os seres humanos que Jesus está chamando do outro lado da morte dizendo: "Venha! Viva!". Aqueles que ouvem a voz de Jesus e creem nesta oferta de vida podem dizer "Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim." (Gálatas 2.20)

Jesus não veio transformar pessoas más em pessoas boas. Ele veio tornar pessoas mortas em pessoas vivas.



Pr. Carlos McCord

O que é o Domingo de Páscoa?

ressurreicaoHá muita confusão sobre o que o Domingo de Páscoa significa. Para alguns, o domingo de Páscoa é sobre o Coelhinho da Páscoa, ovos de Páscoa coloridos e caça ao ovo. A maioria das pessoas compreende que o Domingo de Páscoa tem algo a ver com a ressurreição de Jesus, mas está confusa quanto à forma em que a ressurreição se relaciona com os ovos e o Coelhinho da Páscoa.

Biblicamente falando, não há nenhuma conexão entre a ressurreição de Jesus Cristo e as tradições modernas relacionadas com o Domingo de Páscoa. Essencialmente, o que ocorreu é que, a fim de tornar o Cristianismo mais atraente para os não-Cristãos, a antiga Igreja Católica Romana misturou a celebração da ressurreição de Jesus com as celebrações dos rituais da fertilidade que ocorriam na primavera. Estes rituais de fertilidade são a origem do ovo e das tradições do coelho.

A Bíblia deixa claro que Jesus ressuscitou no primeiro dia da semana, domingo (Mateus 28:1, Marcos 16:2,9; Lucas 24:1, João 20:1,19). A ressurreição de Jesus é o evento mais digno de ser comemorado (veja 1 Coríntios 15). Embora seja adequado que a ressurreição de Jesus seja comemorada em um domingo, não devemos nos referir ao dia em que a ressurreição de Jesus é celebrada como "a Páscoa". Páscoa não tem nada a ver com a ressurreição de Jesus em um domingo.

Como resultado, muitos Cristãos defendem fortemente que o dia em que celebramos a ressurreição de Jesus não deve ser conhecido como o "Domingo de Páscoa". Em vez disso, algo como "domingo da Ressurreição" seria muito mais apropriado e bíblico. Para o Cristão, é impensável permitir que a bobagem de ovos e coelhinho de Páscoa sejam o foco do dia, em vez da ressurreição de Jesus.

De todo jeito, sinta-se à vontade para celebrar a ressurreição de Cristo no domingo de Páscoa. A ressurreição de Cristo é algo que deve ser comemorada todos os dias, e não apenas uma vez por ano. Ao mesmo tempo, se optarmos por celebrar o Domingo de Páscoa, não devemos permitir que os jogos e diversão distraiam a nossa atenção do verdadeiro significado desse dia: o fato de que Jesus ressuscitou dentre os mortos e que a Sua ressurreição mostra que podemos ter a promessa de um lar eterno no céu ao recebê-lO como nosso Salvador.

 

Got Questions

Cordeiro de Deus

Cordeiro e Leao“Cordeiro de Deus” é um título dado ao Senhor Jesus Cristo em João 1:29,36 em Sua primeira vinda, e ele se fundamenta fortemente na simbologia do cordeiro da páscoa (Êxodo 12:3) e na profecia messiânica de Isaías 53, especialmente no versículo 7. As passagens igualam Cristo ao cordeiro sacrificial que paciente e inocentemente suporta a morte para expiar o pecado. A simbologia aparece novamente em Apocalipse 5:6,12; 12:11, referindo-se a Jesus Cristo.

 

O nome “Cordeiro” é um dos mais de vinte nomes usados para Jesus no Apocalipse. Nessas passagens, Jesus Cristo, como o Cordeiro de Deus que foi morto para pagar a penalidade do pecado do ser humano, é digno de honra e adoração universais. Esta homenagem e adoração são devidas a Ele não apenas por causa do que Ele fez, mas também por causa de quem Ele é, como o segundo membro da Trindade. A palavra “Cordeiro” [referindo-se a Cristo] (em grego: arnion) ocorre vinte e sete vezes no Apocalipse, mas a palavra “Leão” é encontrada apenas em Apocalipse 5:5.

 

Em Sua primeira vinda e em Sua morte, Jesus foi como um cordeiro. Em Sua segunda vinda, Ele será como um leão, pois será soberano, majestoso e exercerá grande poder. Maranata!

 

Thomas Ice

Agora Sob Nova Direção

sobnovadirecaoQuase sempre que uma propriedade comercial muda de dono, coloca-se uma placa com as palavras: AGORA SOB NOVA DIREÇÃO.

Isto também pode ocorrer com as pessoas, espiritualmente falando. A Bíblia, em João 1:12, diz: “Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus”.

Ora, se os que receberam foram feitos filhos de Deus, os que não receberam ainda não são filhos de Deus e, assim, não estão “sob nova direção”.

Qualquer pessoa pode ser “feito filho de Deus”? Mesmo sendo um terrível pecador? A Bíblia mostra que pode. Veja as provas:

Uma Pecadora – Era uma prostituta, que se arrependeu e creu em Jesus, que lhe falou: “...Seus pecados estão perdoados... Sua fé a salvou; vá em paz" (Lucas 7:48-50).

Um Ladrão – Crucificados, estavam Jesus e mais dois ladrões. Um ladrão blasfemava. O outro, arrependido, e crendo em Jesus dizia: “...Senhor, lembra-te de mim...”. E Jesus respondeu: “...Hoje estarás comigo no Paraíso” (Lucas 23:42,43).

Um médico (Colossenses 4:14), um rico (Mateus 27:57), um mendigo (Lucas 16:20).

Além destes acima, muitos outros se arrependeram e creram em Jesus, e foram salvos da morte eterna. Passaram a estar “SOB NOVA DIREÇÃO”.

Você pode estar pensando que a sua situação social, ou financeira, ou conjugal sejam obstáculos para crer e aceitar Jesus como Salvador. Nada é suficiente para que alguém fique sem Cristo. Nem os vícios, nem drogas, nem alcoolismo. Nada.

Jesus disse: “Eu sou a Porta, se alguém entrar por mim, será salvo...” (João 10:9).

Nem dinheiro, nem caráter, nem posição, nem sofrimento, nem doenças, ou boa conduta, servirá como porta para entrar no Céu.

A ÚNICA PORTA: JESUS.

“EU ENTENDI AGORA, QUE JESUS É A ÚNICA PORTA PARA A SALVAÇÃO”.

Eu quero estar “SOB NOVA DIREÇÃO” de Cristo, e sendo assim eu O aceito como meu único e Suficiente Salvador. Amém.

 

Folheto da Editora Batista Regular