Realização em Jesus

Sozinho?"Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que, ao ser agitada a água, me ponha no tanque..." (João 5:7a).

Não fomos criados para a solidão. 
Quando refletimos sobre Deus sabemos que Ele vive em eterna comunhão entre Pai, Filho e Espírito Santo. 
Como fomos criados à imagem e semelhança de Deus, nossa alma anela por comunhão. 
Adão do alto de sua mais plena humanidade pura e perfeita para o que fora criado sabia que “Não era bom estar só”. 

No Novo Testamento, em João 5, lemos a história de um homem que por 38 anos aguardava alguém que pudesse colocá-lo no tanque para que fosse curado. 
Ele mesmo disse: “não tenho ninguém...”. 
Esse deve ser um dos sentimentos mais devastadores para o coração humano: “não ter ninguém” e “não ser de ninguém”. 
Mas, Jesus entra em cena e resgata o homem de sua espera, dando-lhe saúde. 

A verdade é que ninguém poderá suprir nossa maior necessidade de comunhão. 
Sim, é ótimo termos amigos, colegas, familiares, mas aquela lacuna mais profunda só será preenchida por Jesus. 
Quando finalmente encontramos nossa realização Nele nunca mais sofreremos de solidão, pois tudo que o isolamento social poderá nos causar é solitude, isto é, a oportunidade de estar a sós com Deus.

 

Pr. Leandro Tarrataca

 

Esperança para cristãos imperfeitos

cristaos imperfeitosPorque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados (Hebreus 10.14).

Este versículo é cheio de encorajamento para pecadores imperfeitos como nós e é repleto de motivação para a santidade.

Isso significa que você pode ter certeza de que é perfeito e completo aos olhos do seu Pai celestial não porque você é perfeito agora, mas exatamente porque, embora não seja perfeito agora, está "sendo santificado", "sendo feito santo" — de forma que, pela fé nas promessas de Deus, você está se afastando de sua persistente imperfeição em direção à crescente santidade. Esse é o ponto de Hebreus 10.14.

A sua fé o torna desejoso de abandonar o pecado e progredir em santidade? Esse é o tipo de fé que, em meio a imperfeição, pode olhar para Cristo e dizer: "Você já me aperfeiçoou diante de sua vista".

Esta fé diz: "Cristo, hoje pequei. Mas eu odeio o meu pecado. Pois, você escreveu a lei no meu coração e eu desejo cumpri-la. E está operando em mim o que é agradável aos seus olhos. E assim, odeio o pecado que ainda cometo; e odeio os pensamentos pecaminosos que entretenho."

Esta é a verdadeira e realista fé que salva. Esta é a fé que pode saborear as palavras: "Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados".

Este não é a vanglória dos fortes. É o clamor dos fracos que precisam de um Salvador.

Eu o convido, e insisto, a sermos fracos o suficiente para que confiemos em Cristo dessa forma.

 

John Piper

 

Em cada adversidade, uma oportunidade

oculos pedra"Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração" (Romanos 12:12).

Jesus deu uma missão aos seus discípulos de irem ao mundo todo com sua mensagem, mas é curioso que algumas vezes o mundo todo vai ao encontro dos seus discípulos. 
Um grande exemplo foi a Copa do Mundo de 1994 realizada nos Estados Unidos. 
Na ocasião, centenas de igrejas e outras centenas de organizações missionárias aproveitaram a oportunidade para anunciar a mensagem do evangelho. 
Literalmente milhões de folhetos cristãos foram distribuídos! 

Deus é maravilhoso em trazer ao nosso encontro oportunidades, especialmente oportunidades para obedecê-lo. 
Aliás, alguns desafios em nosso caminho, não poucas vezes, são oportunidades de obediência. 

Paulo, o apóstolo, foi um homem atento às oportunidades, mesmo apresentadas nas "embalagens" das adversidades. 
E nosso supremo mestre e Senhor quando era interpelado por demônios, coxos, falsos líderes, opositores entre tantas outras adversidades, tornava cada uma em nova oportunidade. 
Troque seus óculos de adversidade pelas maravilhosas lentes das oportunidades e contemple extasiado a grandeza de Deus.

 

Pr. Leandro Tarrataca

 

 

Nas mãos de Deus

NasMaosDeDeus"Tua é, ó Senhor, a grandeza, e o poder, e a glória, e a vitória, e a majestade, porque teu é tudo quanto há no céu e na terra; teu é, ó Senhor, o reino, e tu te exaltaste como chefe sobre todos" (1 Crônicas 29:11).

Na mitologia grega, Zeus é uma espécie de poderoso chefão dos deuses; também as mitologias nórdicas carregam o mesmo conceito de divindade em que a direção por deuses se dá pela sabedoria de Odin ou Tiwas. 
Mas, a Bíblia apresenta-nos Deus de modo totalmente diferente, Ele é o único Deus verdadeiro, por isso o único Todo Poderoso. 

No Antigo Testamento o poderoso rei Ciro que sequer acreditava em Deus, foi usado por Ele. 
Embora Ciro fosse um adorador do panteão de deuses babilônios, Deus o usou soberanamente para levar a termo Seus sábios propósitos (Isaías 45:1-13). 

Deus continua soberano mesmo quando não é adorado. 
Ele é soberano nas luzes ou nas trevas, soberano na prosperidade ou na calamidade (Isaías 45:7Salmo 50:10-12). 
Mas, a soberania de Deus não é uma manifestação cega do destino, não é cruel, mas bondosa, sábia, justa e proposital. 
Deus é como um oleiro que molda o barro dando-lhe a forma que deseja (Isaías 45:9Isaías 29:16). 
Tal qual o barro, devemos nos render à moldagem do nosso Deus, sem gritos, esperneios, devemos nos render ao toque gentil, mas firme das mãos do nosso soberano Deus.

 

Pr. Leandro Tarrataca

 

Precisamos Dele

precisamos dele“Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais; porque isto é agradável ao Senhor” (Colossenses 3:20).

Disciplinar os filhos é um direito e dever dos pais, este é o modelo estabelecido divinamente na carta de Paulo. 
A disciplina não deve ser apenas punitiva, deve ser criativa, corrigindo os erros, mas também potencializando os acertos. 
Mas, qualquer que seja o lado da moeda, o direito e o dever de disciplinar os filhos é prerrogativa parental. 

Imagine que uma criança pequena não deseje obedecer seus pais e diga: Papai, mamãe, vocês não mandam mais na minha vida. Eu vou cuidar da minha própria vida. Sei o que é melhor para mim e por isso rejeito sua autoridade; daqui para frente eu cuido da minha vida
Como esta criança se sairia no mundo real? 
Certamente se daria mal! 

Pois era exatamente assim que Israel como nação estava se comportando com Deus. Ele os havia constituído nação (Isaías 45:11), mas eles preferiram seguir seus próprios caminhos. 
Isaías condenou a nação, pois rebelar-se contra seu próprio Criador era uma tolice descabida (Isaías 45:9,10). 

Mas, tal qual crianças rebeldes algumas vezes pensamos que podemos cuidar de nossas vidas sem nosso Pai celestial. 
Como nos sairemos sem os cuidados, direção e até a disciplina divina? 
Basta olhar para tantos que ficaram pelo caminho sofrendo as consequências de suas escolhas rebeldes.

 

Pr. Leandro Tarrataca