Evangelização de homossexuais

AddThis Social Bookmark Button

parada da diversidadeUm imperativo deixado por Jesus quando ascendeu aos céus foi que devemos pregar o evangelho a toda criatura. Isso inclui os homossexuais e quaisquer outros grupos considerados minorias ou marginais: "E disse-lhes (Jesus): Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo." (Marcos 16:15). Se a igreja se cala, deixa de proclamar profeticamente a esses pecadores que há salvação e vida abundante em Cristo.

Jesus também disse que devemos ser sal da terra e luz do mundo. "Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens" (Mateus 5:13). Uma característica do sal é que ele penetra no alimento dando-lhe sabor. Assim devemos ser. Mais do que simplesmente jogar o sal, devemos desejar que ele penetre os alimentos (as pessoas) à nossa volta e que estas tenham novo sabor na vida.

A missionária Eleny Vassão, chefe do setor de capelania evangélica do Hospital das Clínicas e do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, SP, fez uma declaração muito importante em seu livro O Desafio Continua: A Missão da Igreja Frente à AIDS: "Evangelizar nosso povo é viver o amor de Deus, cumprindo nossa missão como embaixadores do céu na terra e ganhando a cada dia novos cidadãos para o Reino de Deus". Ela transcreveu, ainda, em seu livro, declarações relevantes de Bill Bright (extraídas do livro Testemunhando Sem Medo) sobre evangelismo:

  • "Quando o cristão deixa de partilhar sua fé, perde uma das maiores bênçãos que nosso Senhor oferece: a profunda alegria de ajudar um ser humano a encontrar uma vida nova e abundante, a vida eterna em Jesus Cristo".
  • "No mundo só há dois tipos de pessoas: aquelas que são missionárias e estão em campo; outras que são campos missionários, à espera de evangelização".
  • "São chaves para a evangelização: obediência à ordem do Senhor, oração, jejum, ação e amor pelas pessoas, indo até elas".

Evangelizar homossexuais não é tarefa fácil. Poucas igrejas envolvem-se com esse tipo de trabalho não tendo, por isso, experiências para compartilhar. Com isso, quando pensamos em evangelismo com minorias, temos que lembrar, obrigatoriamente, de grupos isolados que tomam essa iniciativa. A premissa básica para quem quer evangelizar os homossexuais é crer que Deus pode transformá-los (1Coríntios 6:11 deve ser bem entendido e crido) e tomarmos alguns cuidados importantes como:

  1. Orar e jejuar especificamente e esperar orientação de Deus para saber que estratégias usar;
  2. Importante: Se receber atenção voluntariamente, não inicie a conversa apontando o pecado homossexual da pessoa (em 1Coríntios 6:9 e 10 todos os pecados estão no mesmo nível). Isso pode criar, imediatamente, uma barreira. Procurar falar sobre o amor de Deus pelo homem e do plano de salvação geral, pois quem está ali é um ser humano comum e que, como qualquer outro, tem uma alma que precisa ser resgatada pelo Sangue de Jesus Cristo (plano de salvação em Jesus Cristo: Romanos 10:13, Mateus 4:19, João 14:6, João 1:12, Atos 16:31, Mateus 6:33, Marcos 8:34, João 15:16);
  3. Observar a característica de cada grupo (locais e horários em que atuam, tipo de comunicação, se são abertos ao diálogo ou não, os cuidados práticos a serem observados, a verdade e os mitos sobre os riscos que o grupo de evangelismo corre etc);
  4. Comprar ou confeccionar literatura específica para o tipo de trabalho a ser desenvolvido (os folhetos não precisam necessariamente falar de homossexualidade).
  5. Ter uma relação de Ministérios de Ajuda e lugares para onde possa encaminhar aqueles que desejam deixar a homossexualidade mas não têm para onde ir (casas de recuperação, no caso de travestis que se prostituem, por exemplo);
  6. Selecionar pessoas maduras espiritual e emocionalmente para o trabalho (se possível, evitar pessoas que estejam no início da caminhada no evangelho);
  7. Contar com o apoio da liderança e ter um grupo de intercessores.

 

Saulo Adelino Navarro 
(ex-homossexual)